Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Fim da greve dos funcionários dos Correios

Em Macaé, as atividades voltaram ao normal na manhã de ontem

Em 16/03/2018 às 14h50


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Na manhã de ontem, o atendimento já estava normalizado na Central de Distribuição do São José do Barreto Na manhã de ontem, o atendimento já estava normalizado na Central de Distribuição do São José do Barreto
Desde a manhã de ontem as Centrais de Distribuição dos Correios voltaram a funcionar normalmente em algumas cidades. Em Macaé o atendimento à população estava acontecendo normalmente e os cartazes que antes estavam fixados nos portões das unidades já haviam sido retirados. 

A greve dos profissionais havia sido iniciada à 00h da última segunda-feira, dia 12 de março. Apesar das Centrais de Distribuição terem fechado as portas, as agências continuaram funcionando normalmente. 

Informações emitidas pelo setor de imprensa da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT), apontavam que a mobilização foi realizada por todo país e foi aprovada em assembleias dos sindicatos filiados à FENTECT, por ser contra as alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS); a terceirização na área de tratamento; a privatização da estatal; suspensão das férias dos trabalhadores, como em 2017; extinção do diferencial de mercado; descumprimento da cláusula 28 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que trata da assistência médica da categoria, e contra a redução do salário da área administrativa.  

Ainda se acordo com as informações,  um dos principais ataques da ECT é voltado ao plano de saúde da categoria, que recebe, em média, R$ 1.600,00 (o pior salário entre empresas públicas e estatais) e, agora, no que depender da direção dos Correios, ainda terá que arcar com mensalidades no plano e a retirada de dependentes. Além disso, o benefício poderá ser reajustado conforme a idade, chegando a mensalidades acima de R$ 900,00.

Procurada na tarde de ontem pela redação do Jornal, até o fechamento desta edição, o setor de imprensa da Federação não havia se pronunciado sobre o fim da greve.

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade