Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Campanha de vacinação termina hoje em Macaé

Imunização é voltada apenas para os cidadãos que não tomaram a dose em 2017

Em 09/02/2018 às 12h05


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Devem ser vacinadas pessoas com idade entre nove meses e 59 anos Devem ser vacinadas pessoas com idade entre nove meses e 59 anos
Quem ainda não foi imunizado contra a febre amarela deve procurar uma das unidades de saúde do município que estão aplicando a dose, que é única e vitalícia. A segunda campanha de vacinação promovida pela prefeitura, em parceria com a secretaria de Estado de Saúde, termina nesta sexta-feira (9). 

De acordo com o último Boletim Epidemiológico da SES, já foram registrados 48 casos com 22 mortes em 2018 em todo o Estado do Rio. Três desses óbitos ocorreram recentemente em Nova Friburgo, município vizinho a Macaé.
Na Capital do Petróleo, a campanha de imunização vem sendo feita esse ano com o intuito de vacinar aqueles que não aderiram à mobilização em 2017. Lembrando que quem já foi vacinado não precisa ser imunizado novamente, pois a dose é única e vitalícia.

As vacinas podem ser tomadas nos seguintes locais: nas unidades do Estratégia Saúde da Família (ESF) do Lagomar, Córrego do Ouro, Trapiche, Frade, Sana, Bicuda, Glicério, Fronteira; os prontos-socorros do Aeroporto e municipal, a Casa da Vacina (Centro) e na Policlínica (Novo Cavaleiros). 

Podem ser vacinadas pessoas com idade entre nove meses e 59 anos. No caso de idosos com 60 anos ou mais a imunização só poderá ser feita com a autorização de um médico, que irá avaliar as condições do paciente e a possibilidade de receber ou não a dose.

Para ser imunizado é preciso apresentar o documento de identificação, comprovante de residência e carteira de vacinação (crianças). 


Quem não pode ser imunizado 

A vacina contra a febre amarela é contraindicada para os seguintes casos: pessoas que já se vacinaram anteriormente; gestantes; crianças menores de nove meses; mulheres amamentando menores de seis meses; pessoas com câncer em uso de quimioterapia e/ou radioterapia; pacientes infectados com HIV com imunossupressão grave; pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras corticosteróides, quimioterapia, radioterapia, entre outros; pacientes submetidos a transplante de órgãos; pacientes com imunodeficiência primária; com neoplasia; uso de medicamentos imunossupressores; alergia a ovo; doença do Timo; lúpus; doença de addison; artrite reumatóide; e doenças hematológicas. 

No caso de idosos com mais de 60 anos, ela poderá ser tomada apenas em último caso, com autorização do médico. 

Autor: Marianna Fontes marifontes@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade, saúde


publicidade