Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Instituições propõem revisão em estratégia de duplicação

Objetivo é garantir que obras da BR 101 em Macaé atendam demanda econômica local

Em 12/01/2018 às 17h16


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Vitor Silva (Rede Petro), Guilherme Abreu (CVB), Evandro Cunha (Firjan), Antônio Severino (ACIM) entregam ofício a Odíli Vitor Silva (Rede Petro), Guilherme Abreu (CVB), Evandro Cunha (Firjan), Antônio Severino (ACIM) entregam ofício a Odíli
A revisão na estratégia de duplicação do trecho de 46 quilômetros da BR 101 que corta Macaé foi proposta à Autopista Fluminense pela Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM), em ofício assinado e corroborado pela Comissão Municipal da Firjan, Rede Petro-Bacia de Campos e o Macaé Convention and Visitors Bureau (CVB).

O objetivo da solicitação é adequar o planejamento da concessionária de intervenção no único trecho Norte da rodovia que ainda não recebeu as obras de duplicação, à demanda da logística de cargas responsável por movimentar a economia da cidade, baseada nas operações do petróleo.

"O que queremos é, através do protagonismo de Macaé no desenvolvimento da economia regional, garantir que a duplicação da BR 101 nesses 46 quilômetros siga a demanda das operações de logística das empresas que atuam na nossa cidade", explicou Antônio Severino dos Santos, presidente da ACIM.

No ofício, o primeiro assinado por Severino ao assumir a gestão da ACIM em 2018-2019, as instituições pedem que as obras de duplicação sejam iniciadas no trecho compreendido entre Macaé e o distrito de Rio Dourado. Essa demanda também foi apresentada à equipe da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que participou da reunião realizada na noite de quarta-feira (10) no auditório do Senai.

"As intervenções neste trecho são aguardadas há anos pela cadeia produtiva do petróleo local. E isso se faz necessário, não apenas pela questão da economia, mas também pela necessidade de se garantir segurança aos milhares de usuários que trafegam por esse trecho", afirmou Evandro Cunha, presidente da Comissão Municipal da Firjan.

Inicialmente, a estratégia adotada pela Autopista para a realização das obras de duplicação no trecho de Macaé é começar as intervenções no perímetro de 33 quilômetros compreendidos entre o KM 144 (Trevo dos 40) até o KM 177 (Rocha Leão).
Segundo o diretor da Autopista, Odílio Ferreira, a demanda apresentada pelas instituições é válida. Porém, a estratégia definida para a duplicação do trecho da BR 101 de Macaé segue especialmente os critérios do licenciamento ambiental.

"Optamos por fragmentar o projeto em função da complexidade de se licenciar a obra nos oito quilômetros da rodovia que cortam a Reserva Biológica da União (ReBio), que ainda é o principal entrave para que possamos garantir a duplicação da rodovia neste trecho", disse.

Números

46 KM
Trecho da BR 101 que corta Macaé, ainda não duplicado pela Autopista Fluminense

33 KM
Trecho inicial da BR 101 que corta Macaé, que receberá as primeiras intervenções neste ano

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: política


publicidade