Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Quinta da Boa Vista: Promessa não é cumprida e esgoto jorra a céu aberto

Há anos moradores reclamam do esgoto que jorra a céu aberto no bairro

Em 12/01/2018 às 17h00


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Apesar de várias promessas feitas pela Prefeitura, o problema continua no local Apesar de várias promessas feitas pela Prefeitura, o problema continua no local
Há algum tempo os moradores do Quinta do Boa Vista reclamam do esgoto que vem jorrando há anos no Quinta da Boa Vista. Esta semana eles voltaram a relatar o problema ressaltando que, apesar das promessas feitas, o órgão municipal nada fez para resolver o problema. 

O problema que já dura mais de um ano é na Rua Joel Cruz e vem preocupando os moradores, pois coloca em risco a segurança das pessoas que trafegam no local, tanto os pedestres quanto motoristas e além disso, sem pavimentação, os dejetos acabam infiltrando no solo, podendo comprometer também, o lençol freático. "Além do risco de acidente, tem também a questão da contaminação. Esse problema já é antigo, mas até hoje não apresentaram uma solução para ele", reforçou um pedestre. 

É importante lembrar que a própria Organização das Nações Unidas (ONU) considera que 80% da mortalidade provocada por estas doenças podem ser evitadas com a execução de obras de saneamento. Outros benefícios importantes são a preservação do meio ambiente, com a despoluição das águas e solo; melhor desempenho escolar das crianças; maior produtividade dos trabalhadores e maior valorização dos imóveis.

Vale ressaltar que o saneamento é um direito assegurado. A ONU diz que isso é um fator fundamental para redução da pobreza, melhoria das condições de vida das pessoas e para o desenvolvimento sustentável. 

Em setembro de 2017 em uma das vezes em que foi procurada pela redação do Jornal, a Prefeitura informou que ao buscar a solução do problema, segundo informações do secretário adjunto de Saneamento, Ricardo Pereira Moreira, foi contactada a empresa responsável pelo loteamento, a Incorporadora Lotear que, prontamente, iniciou ações de reparos na rede coletora já existente no local. O órgão informou ainda que a rede apresentava problemas em alguns trechos, assim como foram refeitos oito poços de visitas (PVs), de um total de 15, ações essas que visam acabar com o vazamento de esgoto in natura na área do loteamento. 

Ainda segundo o órgão municipal, de acordo com a Incorporadora Lotear, para solucionar de vez o problema, a empresa já deu entrada no projeto de recuperação total da rede de esgoto, com 550 metros. Esse projeto contempla também a construção de quatro elevatórias e de uma Estação de Tratamento de Esgoto, ETE, que vai captar e tratar o esgoto do loteamento, prevendo tratamento terciário, antes do lançamento dos resíduos tratados no corpo coletor, um canal situado nas proximidades", disse a Prefeitura. 

Já em novembro, quando foi procurada mais uma vez, tendo em vista que o problema não foi solucionado, o órgão disse que, através de diligência de fiscalização de ordem sanitária, a equipe de fiscais da Secretaria Adjunta de Saneamento verificou a existência de vazamento de esgoto no loteamento Quintas da Boa Vista, ocasionado pela falta de sistema de recalque de efluentes e de tratamento de esgoto. Entretanto, após ser notificada pela Secretaria Adjunta de Saneamento, a empreendedora LOTEAR EMPREENDIMENTOS apresentou projeto executivo do sistema de recalque de efluentes (já aprovado pela secretaria) o qual possibilitou o início das obras.

Quanto à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), os projetos estão sendo elaborados e nos próximos dias devem ser apresentados à Secretaria Adjunta de Saneamento.

Já esta semana, a resposta emitida pelo órgão foi "A Secretaria de Saneamento informa que a equipe técnica realizou vistoria no local, constatando presença de esgoto na rede de drenagem de águas pluviais, possivelmente oriunda de ligação clandestina. A partir da situação constatada, foi solicitada à BRK Ambiental, Secretaria de Serviços Públicos e Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade ação conjunta, a fim de viabilizar a verificação in loco e prospecção no interior da rede. Caso sejam confirmadas possíveis ligações clandestinas, serão aplicadas as medidas cabíveis", disse a Prefeitura em nota.

Autor: Juliane Reis Juliane@odebateon.com.br

Foto: Kaná Manhães


    Compartilhe:

Tags: cidade


publicidade