Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Bacia de Campos mantém maior campo em produção no pós-sal

Área do pós-sal é estratégica para a dinâmica atual e nova do mercado nacional offshore

Em 05/12/2017 às 15h39


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Operações na Bacia de Campos rendem, para Macaé, novas perspectivas de retomada de negócios e de geração de emprego Operações na Bacia de Campos rendem, para Macaé, novas perspectivas de retomada de negócios e de geração de emprego
Gêneses do mercado offshore nacional, berço das operações que mudaram por completo as características sociais e econômicas de Macaé, a Bacia de Campos detém hoje a maior participação no processo e na evolução da produção de óleo bruto no país.

Com a previsão de receber investimentos de R$ 3 bilhões em manutenção e na modernização das unidades de operação, a Bacia de Campos fortalece a sua importância para a nova fase do mercado do petróleo nacional, seja na continuidade das atividades do pós-sal, e na garantia dos superlativos do pré-sal.
Nesta semana, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) apresenta os dados sobre a produção de óleo e gás no país, registrada em outubro.

De acordo com a ANP, atualmente a Bacia de Campos possui o campo marítimo com o maior número de poços em produção. Marlim Sul, considerado como o "gigante do pós-sal", opera hoje com 96 poços em produção.
A ANP aponta que, no país, foram 2,627 milhões de barris por dia (bbl/d), uma redução de 0,9% na comparação com o mês anterior e um aumento de 0,1% em relação ao mesmo mês em 2016.

No entanto, o que mais se destaca é a evolução da produção do pré-sal no mercado nacional de óleo e gás.
Em outubro, 1,628 milhão de barris de óleo equivalente por dia foram extraídos das águas ultraprofundas, uma redução de 2,9% em relação ao mês anterior.

A produção, oriunda de 79 poços, foi de 1,306 milhão de barris de petróleo por dia e 51 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia, correspondendo a 48,6% do total produzido no Brasil.

Já o pós-sal assegura a maior parte da produção de óleo no país. O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural. Produziu, em média, 808 mil bbl/d de petróleo e 34,5 milhões de m3/d de gás natural.

Os campos marítimos produziram 95,2% do petróleo e 79% do gás natural. A produção ocorreu em 8.054 poços, sendo 737 marítimos e 7.317 terrestres. Os campos operados pela Petrobras produziram 93,6% do petróleo e gás natural. 
De acordo com dados da ANP, pela terceira vez a Bacia de Santos ultrapassou a de Campos em produção total. A primeira foi em julho de 2017 e a segunda em setembro.

Investimentos

Ao celebrar neste ano os 40 anos de produção da Bacia de Campos, a Petrobras reforçou a importância da região para a sua estratégia de recuperar espaço no mercado internacional de óleo e gás.

Para isso, a companhia prevê R$ 3 bilhões em investimentos na reforma e manutenção de sistemas instalados na região, uma demanda que vai gerar negócios para o mercado de óleo e gás local, através de contratos com empresas que irão abrir vagas de trabalho.

Autor: Márcio Siqueira marcio@odebateon.com.br

Foto: Divulgação


    Compartilhe:

Tags: política


publicidade