Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Ações da Comissão Especial provocam fiscalização da ANP

Trabalho liderado por José Prestes garantiu avaliação sobre combustíveis na cidade

Em 13/11/2017 às 11h58


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Em setembro, a Comissão Especial se reuniu com o Procon de Macaé Em setembro, a Comissão Especial se reuniu com o Procon de Macaé
A fiscalização realizada nesta semana pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), em postos de combustíveis da cidade, foi uma ação proposta pela Comissão Especial da Câmara de Vereadores, liderada por José Prestes (PPS), à secretaria municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon).

Em setembro, José Prestes se reuniu com o secretário de Proteção e Defesa do Consumidor , Carlos Fioretti, com objetivo de se unir ao Procon para verificar por que o combustível em Macaé é o mais caro da região.

Na ocasião, Fioretti afirmou ao vereador que iria solicitar a ANP fiscalização nos postos de combustíveis de Macaé.

Os 30 postos de combustíveis de Macaé foram fiscalizados por equipes da ANP e do Procon Macaé, e a qualidade da gasolina e etanol, além da quantidade de combustível que sai da bomba se é compatível com o que solicita o consumidor foram os itens analisados.

A ação da ANP e do Procon foi reforçada pela Comissão Especial da Câmara de Macaé, composta também por Neto Macaé (PTC), Welberth Resende (PPS) e Julinho do Aeroporto (PMDB).

As equipes formadas por fiscais do Procon e especialistas em regulação, petróleo, gás e biocombustíveis da ANP visitaram 24 postos, encontrando em um posto de combustível, em Imboassica, a chamada "bomba baixa", quando a quantidade abastecida no tanque de gasolina é menor do que a registrada na bomba, que furta ao menos 10% da gasolina e deixa o cliente com o prejuízo. O posto foi autuado, a bomba ajustada e a direção do posto pode apresentar defesa em até 15 dias.

"Essa é uma ação fundamental para garantir a qualidade do produto para os motoristas da cidade. Agora, o nosso próximo passo, é garantir que o preço cobrado nas bombas seja o mais justo", disse Prestes.

Autor: Márcio Siqueira

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: economia


publicidade