Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Febre Amarela: Casa da Vacina volta a imunizar sem agendamento

Mesmo quem está agendado para a unidade, pode antecipar a vacina, basta apresentar comprovante de residência

Em 19/05/2017 às 11h22


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Após a notificação do segundo caso de febre amarela no município, a Prefeitura de Macaé anunciou na manhã de ontem uma nova estratégia de imunização contra a doença. De acordo com o órgão, conforme está sendo feito na Serra, na Casa da Vacina não haverá agendamento. Dessa forma quem está agendado para esta unidade ou ainda não recebeu a dose pode procurar a Casa munido do comprovante de residência. 

Já para as demais Estratégias da Saúde da Família (ESFs), situadas no perímetro urbano, o agendamento permanece. Na serra continua a imunização sem a necessidade do agendamento.  As unidades disponíveis são: ESFs do Sana (Rua José Jesus Júnior - s/nº); Bicuda Grande (Rua Principal - s/nº); Córrego do Ouro (Rua Miguel Peixoto Guimarães - s/nº), Frade (Rua Principal - s/nº) e Trapiche (Rua João Manoel da Silva, s/nº) também administram as doses sem a necessidade de agendar. 

Ainda de acordo com a Prefeitura, na região serrana, a atenção do órgão tem sido voltada para a população idosa. Dessa forma, a orientação é para  que os familiares se conscientizem da importância da imunização para essas pessoas, principalmente pelos sintomas da doença serem mais acentuados e agressivos para quem tem mais de 60 anos e lamenta a pouca procura da vacina por parte desse público. 

Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde, os sintomas iniciais da doença  incluem febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, pessoas com 60 anos e mais, que nunca foram vacinadas ou sem comprovante de vacinação deverá passar por avaliação médica que irá indicar o benefício e o risco da vacinação.

Autor: Juliane Reis juliane@odebateon.com.br

Foto: Divulgação


    Compartilhe:

Tags: cidade, saúde


publicidade