Cadastre-se e receba nossas novidades:

Notícias

Maxwell vai mover ações de improbidade e criminal contra a prefeitura após desabamento

Vereador levou ao plenário pedaço de escombro do Ginásio Poliesportivo

Em 19/04/2017 às 11h27


Versão para impressão
Enviar por e-mail
RSS
Diminui o tamanho da fonte Aumenta o tamanho da fonte

Vereador levou pedaço de escombro do Ginásio para o plenário Vereador levou pedaço de escombro do Ginásio para o plenário
O vereador Maxwell Vaz (SD) anunciou ontem (18) que apresentará à Justiça dois pedidos de ações, um de improbidade administrativa e outro de responsabilidade criminal, contra a prefeitura, diante do desabamento de parte do teto do Ginásio Poliesportivo Engenheiro Maurício Bittencourt.

Os argumentos técnicos que irão sustentar as denúncias foram apresentados pelo parlamentar durante o seu pronunciamento no grande expediente.

Com um pedaço dos escombros do Ginásio nas mãos, retirado da calçada da casa de um dos seus filhos, Maxwell criticou a inércia do governo em promover a manutenção do espaço que coloca em risco a segurança dos moradores da Rua Turmalina, no Riviera.

"É um absurdo o que está acontecendo. Eu repudio o governo por não ter nos ouvido, por ter ignorado todos os nossos pedidos de reforma daquele espaço que deveria acolher as pessoas, e não provocar riscos para as famílias, para a minha família", disse Maxwell.

O vereador apresentou as cópias do requerimento 019/2015 e do ofício encaminhado à secretaria de Obras em 2016, ambos solicitando o cronograma de obras de reparos e de manutenção, que garantissem a estabilidade estrutural do espaço.

"Nós tentamos alertar o governo em 2015. Repetimos o mesmo pedido à secretaria de Obras em 2016. Não obtivemos respostas. Fomos completamente ignorados. E essa atitude lamentável do governo, que tem um prefeito surdo, acaba gerando essa situação", disse Maxwell.

O vereador revelou que seus dois filhos e noras, além do neto de pouco mais de um ano, são moradores da Rua Turmalina, onde os escombros do Ginásio despencaram no final da tarde da segunda-feira (17).

"Esse poderia ter sido um dia marcado por mais tragédias. Uma pessoa já havia morrido naquele espaço, pela manhã, ao levar um choque na casa de energia que alimenta o Ginásio. Costumo caminhar com meu neto por ali. Meus filhos circulam no mesmo local todos os dias. Imagina se essas pedras caíssem sobre eles? Isso não pode ficar como está", falou o parlamentar.
Maxwell fez duras críticas também à Coordenadoria de Defesa Civil, órgão que funciona dentro do Ginásio Poliesportivo

"O que me espanta é saber que as pessoas não se incomodam com nada. A Defesa Civil não tem mais credibilidade, por estar em um prédio cujos pedaços caem sobre as suas cabeças. Ninguém se importa com a segurança dos moradores. Isso não vai ficar assim. As pessoas precisam ser responsabilizadas, até mesmo criminalmente", disse o vereador.

Autor: Márcio Siqueira

Foto: Wanderley Gil


    Compartilhe:

Tags: política


publicidade