Cadastre-se e receba nossas novidades:

09/10/2017 às 16h11m

Assanhados ao limite

Não cansamos de comentar aqui neste cantinho, alguns episódios que ocorrem em Brasília, onde os pseudos "representantes do povo", senadores e deputados, grande parte deles envolvidos em falcatruas, em graus de corrupção altíssima e respondendo a processos, tratam primeiro de olhar para o próprio umbigo e tentar se colocar como reis e rainhas, para manter o status quo.

Embora o instituto DataFolha tenha divulgado números relacionados ao governo que não conta com a aprovação do povo e obtém a nota mais baixa de aprovação de todos os tempos, possivelmente não tenha feito o mesmo trabalho de ouvir a opinião pública para saber como está o Congresso, cujos parlamentares só legislam em causa própria. Foi assim ao estabelecer o foro privilegiado, a imunidade para buscar a impunidade e as "reformas eleitorais" que objetivam, apenas, atender a cada um dos que têm mandato e residem em Brasília, a ilha da fantasia.

Como se não bastasse a inclusão de muitos deles em denúncias com as colaborações premiadas feitas por empresários e até pelos próprios políticos, agora trataram de, a toque de caixa e na calada da noite, aprovar uma reforma política criando um fundo de financiamento de campanha que - pasmem - chega a R$ 2 bilhões, garfando do bolso dos cidadãos que estão desempregados e sem renda, dinheiro para gastar na campanha. Como acabou a sopa de buscar recursos nos órgãos públicos que sofreram um enorme assalto, nem o déficit de 180 bilhões os assusta. Eles querem mais dinheiro no bolso, imaginando que o eleitor tem memória curta.

Além de acabar com as coligações partidárias a partir de 2020 (poderia ser a partir de 2018), aprovar perdão de dívidas que beneficiam políticos, pessoas físicas ou jurídicas devedores de multas eleitorais, eventos para arrecadar recursos, ainda incluíram na reforma, emenda do deputado Áureo (SD-RJ) - anotem este nome para não votar - censurando até a internet, com o objetivo de "combater a guerrilha virtual e perfis fakes". Ainda bem que a ANJ, a ABERT e a ANER, estão protestando, uma vez que já existe o Marco Civil da Internet, estabelecendo que, somente mediante decisão judicial será possível a suspensão ou retirada de informações e opiniões. Quer dizer. Você aí, não vai poder fazer comentários sobre os candidatos... Olho vivo neste nome.

Buscam-se lideranças

Não são poucos os membros de muitas instituições no município que estão a "ver navios", pela impossibilidade de atuar politicamente, enquanto existir o feudo partidário, comandado apenas por uma comissão provisória que pode tudo e não decide nada democraticamente. Ouve-se pelos quatro cantos o lamento de pessoas de bem, até intencionadas a concorrer a algum cargo eletivo, que se veem obstados pelas regras do "quem manda aqui sou eu", embora o ministro Gilmar Mendes, que preside o Superior Tribunal Eleitoral, tenha divulgado resolução daquela Corte estabelecendo que, a partir do mês de março deste ano, no prazo de um ano, todos os partidos elejam os membros de seus diretórios a nível nacional, estadual e municipal.

Ele citou há pouco, o ex-deputado Waldemar da Costa Neto que, embora não sendo parlamentar, por mais de 10 anos ainda atua ditando as regras do PP - Partido Progressista, envolvido até a alma na Laja Jato e outras investigações. Com a não existência de diretórios para homologar as filiações e a falta de vontade política dos donos dos partidos para "esticar" ao máximo o prazo do TSF, vai ficando distante a mudança de nomes para liderar movimentos sociais e trabalhar em favor da população que está carente de líderes e não sabem como fazer.

Pior é que, a cada figura que começa a ganhar destaque no cenário político ou mesmo econômico, a "caneta do dono do poder" começa a funcionar e barra qualquer intenção das pessoas de bem que desejariam estar nas fileiras partidárias, dando sua participação para melhorar e dar credibilidade à classe política, tão desacreditada nos dias atuais. De qualquer forma, existem algumas pessoas com lupa na mão, tentando enxergar um caminho capaz de levá-las para a participação político partidária. Enquanto falta esta oportunidade, o município e a região vão ficando cada vez mais entregues a feudos que só pensam em muita grana para se eleger e ganhar imunidade parlamentar e, em consequência, a impunidade.

PONTADAS

Muito comentado esta semana o artigo assinado pelo editor de livros, Carlos Andreazza, sob o título Carta a Antônio Palocci, em que ele detona o ex-ministro de Lula e Dilma, e resolveu delatar tudo o que se passou nos bastidores petistas, ao saber que estaria sendo submetido a um processo de expulsão do Partido dos Trabalhadores. "Vale a pena ver de novo".

________ 

Atenção, senhores e senhoras que costumam viver alheios aos movimentos políticos. O deputado estadual Jorge Picciani, que preside o diretório regional do PMDB, voltou à ativa e já tem planos para lançar o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, como candidato a governador. Para quem não sabe, é aquele cidadão que disse a Lula por telefone que "Maricá é uma m..."

_____

E já que o assunto é política, comecem a anotar na agenda os nomes dos atuais deputados federais e senadores que pretendem se reeleger, mesmo após a hecatombe da operação Lava Jato. Muitos deles, candidatos Copa do Mundo - que só vêm a Macaé de quatro em quatro anos - não têm compromisso com a cidade, levam o voto e a vantagem. Depois, esquecem...

_____

 Até domingo.

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe: