Cadastre-se e receba nossas novidades:

18/04/2017 às 16h40m

Não sobrou nada...

Aguardada com muita ansiedade pelos suspeitos de estarem listados pelo Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, encaminhadas ao relator da Operação Lava Jato, ministro Edson Fachin, esta terça-feira passada ele colocou o país em polvorosa quando, finalmente, divulgou a lista dos envolvidos nos esquemas de propina da Odebrecht deixando todos perplexos quando os nomes vieram a público.

Pior ainda, foi a ação seguinte do ministro, de acabar com o sigilo das delações dos diretores e ex-executivos da Odebrecht o que acabou causando uma Tsunami pelo Brasil afora. As redes de televisão, emissoras de rádio e páginas digitais dos jornais, estão revelando os capítulos das mais de 900 horas de depoimentos que não deixaram pedra sobre pedra. Parece que o mundo desmoronou sob os pés dos acusados que, com a mesma cantilena de sempre, afirmam que "foram doações legais e declaradas à Justiça como estabelece a lei".

Na verdade, o caixa dois é crime. Mas o volume de informações dos delatores, não torna crível qualquer argumento dos suspeitos de afirmar que não sabem, nunca receberam ou outras afirmações que deixam os brasileiros corados de vergonha. Nunca, na história do país, que já registrou outros grandes escândalos, foi registrado algo semelhante e não vai parar por aí, a não ser que os parlamentares - senadores e deputados - continuem tentando a blindagem aprovando a toque de caixa os projetos de abuso de autoridade tendo como principal articulador o senador Renan Calheiros, e alterando a legislação eleitoral, como por exemplo, estabelecendo o voto em lista fechado - o que obriga o eleitor a votar no partido que apresentar a lista com os nomes indicados (por quem?) - tirando das pessoas o direito de escolher diretamente seus candidatos, além do financiamento público de campanha que estima em gastos de mais de R$ 5 bilhões, dinheiro que faz falta para a educação, para a saúde e infraestrutura.

Macaé na fita

Pior de tudo é que, como revelado por um executivo da Odebrecht há cerca de um ano, o município de Macaé que é internacionalmente conhecido como Capital Nacional do Petróleo por estar a Petrobras fincada aqui com todas suas unidades de exploração e produção, acabou entrando na fita. Se antes, havia dúvidas de ter o Bene listado o prefeito de Macaé nas eleições  de 2012 com a doação (?) de R$ 1 milhão, agora ficou mais do que claro que houve mesmo pagamento de propina, ao ser revelado o vídeo que faz parte da Petição 6697, de Renato Medeiros, com duração de mais de 10 minutos, em que ele ratifica a delação da Odebrecht, confirmando que em 2013 fez doação de caixa dois ao prefeito Aluízio dos Santos Júnior,  ao controlador geral da prefeitura e a um procurador.

Ora, a riqueza de detalhes com relação a PPP do Esgoto, é tão clara que não deixa margem de dúvidas e todos que assistem ao vídeo, levam um susto e ficam perplexos. Igual a todos os demais suspeitos envolvidos, o prefeito nega as acusações e afirma não saber de nada, como sempre. Como dinheiro não tem boca e não fala, todos acham difícil provar, trabalho que vem desafiando os membros da Força Tarefa da Lava Jato sob a coordenação do Procurador Deltan Delagnol e que na árdua missão de acabar, ou pelo menos estancar a rede de corrupção sistêmica que existe nos poderes em todos os níveis seja federal, estadual ou municipal.

Todos sabem por aqui que, quem é amigo do rei, tem tudo, igual acontecia com Lula, Dilma, Emilio e Marcelo Odebrecht. Quem não reza na cartilha, fica a ver navios. Enquanto isso, a cidade continua mal governada, abandonada e a população reclamando dos serviços básicos que deveriam estar disponíveis para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. Enfim, será que ele vai continuar desafiando a Justiça?

PONTADAS

Parece que mesmo os governos municipal, estadual e federal tendo decretado ponto facultativo na quinta-feira, antecipando o "feriadão", muitos políticos não vão esquecer desta Semana Santa. Onde qualquer um estiver, com certeza vai ter sempre imagens de televisão e informações pela internet dos episódios da novela delação da Odebrecht. E não acaba domingo, no Fantástico.

________ 

Como o projeto de governo municipal, implantado desde 2013, não deu resultados esperados, o Chefe do Poder Executivo está buscando as forças vivas do que sobrou da gestão Riverton Mussi para tentar se recuperar. Lógico que vai pagar um preço alto, além de se envolver em mais "maracutaias" que sempre condenou nas gestões anteriores. Ele acreditou em Pezão, fez campanha e...

________

O Partido dos Trabalhadores e os seguidores do ex-presidente Lula, estão mobilizando seus companheiros objetivando levar 60 mil pessoas para Curitiba no dia 3 de maio, quando ele deverá prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro. Podem estar preparados para o que der e vier porque, frente a frente, vai ser difícil Lula fazer discurso como fez no depoimento em Brasília.

 

Autor: Oscar Pires

Tags relacionadas:

    Compartilhe: